O PET-Agronomia é um dos 842 grupos do Programa de Educação Tutorial (PET) do Governo Federal. O grupo é formado por estudantes e um docente do curso de Engenharia Agronômica da Universidade Federal de São João del-Rei, Campus Sete Lagoas.

Universidade Federal de São João del-Rei
Rua Sétimo Moreira Martins, 188 - Bairro Itapoã
Sete Lagoas (MG)

 

 

Cana-de-Açúcar no Brasil

12-10-2020 12:11

Etanol do Brasil pode resolver o problema das emissões de CO2 no  transporte, revela estudo - Observatório do Clima

A cana-de-açúcar faz parte da história do Brasil Colônia, ciclo compreendido entre os séculos XVI e XVIII. Com grande adaptabilidade ao clima e solo brasileiro, a cultura representou a primeira grande riqueza agrícola e industrial do país, sendo por muito tempo a base da economia colonial.

Oficialmente, Martim Affonso de Souza que após 30 anos da chegada dos portugueses no território brasileiro, introduziu a primeira muda no país e iniciou seu cultivo na Capitania de São Vicente. Mas foi no Nordeste, nas Capitanias de Pernambuco e Bahia, que os engenhos de açúcar prosperaram.

No final do século XVI, o Brasil já era considerado o maior produtor e fornecedor  mundial de açúcar. Impressionando com a alta qualidade do produto, 90% das produções eram exportadas para Portugal e distribuídas para toda Europa.

Com a descoberta do ouro no final do século XVII em Minas Gerais, o cultivo da cana-de-açúcar perdeu a posição na principal geração de riquezas do Brasil Colônia. Atualmente o Brasil é o maior produtor e exportador mundial de açúcar. A busca por combustíveis renováveis torna a cana-de-açúcar uma cultura importante mundial, visando a produção de etanol.

Além da produção de etanol e açúcar, os subprodutos da cana tem grande importância econômica, como na geração de energia, auxiliando no aumento da oferta e redução dos custos, contribuindo para ampliar a sustentabilidade do setor.

Fonte: AgroPos - Cana-de-Açúcar: A cultura que potencializou o Brasil- Juliana Martins Medina