O PET-Agronomia é um dos 842 grupos do Programa de Educação Tutorial (PET) do Governo Federal. O grupo é formado por estudantes e um docente do curso de Engenharia Agronômica da Universidade Federal de São João del-Rei, Campus Sete Lagoas.

Universidade Federal de São João del-Rei
Rua Sétimo Moreira Martins, 188 - Bairro Itapoã
Sete Lagoas (MG)

 

 

Efeitos das mudanças climáticas na aeração do feijão armazenado em Minas Gerais, Brasil

22-04-2020 09:31

Autores: Daniela C. Lopes e Antonio José Steidle Neto

Resumo: Os efeitos benéficos da aeração de grãos e leguminosas armazenados com o ar ambiente podem ser afetados por mudanças no clima que causam distúrbios na temperatura do ar e na umidade relativa que afetam diretamente as estratégias de controle. Foram avaliados os impactos das mudanças climáticas na aeração do feijão em 11 mesorregiões de Minas Gerais (Brasil). Para isso, foram analisados ​​132 cenários de simulação, incluindo simulações de três colheitas de feijão utilizando condições climáticas medidas e três projeções possíveis, representando níveis de forçante radiativo baixo, intermediário e alto. Com base nos perfis de simulação, foram calculados o tempo total de aeração, o resfriamento de grãos e o consumo de energia elétrica durante a aeração do feijão. Os resultados foram fortemente afetados pelos padrões climáticos de cada mesorregião e pelos períodos de colheita da safra. As mudanças climáticas projetadas tendem a reduzir o potencial de resfriamento, aumentando o tempo de operação do ventilador e a necessidade de energia elétrica ao arejar o feijão comum em Minas Gerais. Os vales Jequitinhonha e Mucuri e as mesorregiões Norte e Noroeste foram preditos como não tendo mais potencial de aeração adequado, uma vez que foram os mais impactados pelas mudanças climáticas. A aeração de resfriamento é recomendada ao arejar o feijão nessas mesorregiões, mesmo com o clima atual, e isso deve ser intensificado ao considerar as mudanças climáticas. Nas outras mesorregiões, a aeração com o ar ambiente é atualmente adequada e isso pode permanecer viável mesmo com as mudanças climáticas projetadas, mas é com a condição de que boas práticas de armazenamento sejam seguidas e estratégias de controle eficientes sejam aplicadas. enquanto aumenta o tempo de operação do ventilador e a necessidade de energia elétrica ao arejar o feijão comum em Minas Gerais. Os vales Jequitinhonha e Mucuri e as mesorregiões Norte e Noroeste foram preditos como não tendo mais potencial de aeração adequado, uma vez que foram os mais impactados pelas mudanças climáticas. A aeração de resfriamento é recomendada ao arejar o feijão nessas mesorregiões, mesmo com o clima atual, e isso deve ser intensificado ao considerar as mudanças climáticas. Nas outras mesorregiões, a aeração com o ar ambiente é atualmente adequada e isso pode permanecer viável mesmo com as mudanças climáticas projetadas, mas é com a condição de que boas práticas de armazenamento sejam seguidas e estratégias de controle eficientes sejam aplicadas. enquanto aumenta o tempo de operação do ventilador e a necessidade de energia elétrica ao arejar o feijão comum em Minas Gerais. Os vales Jequitinhonha e Mucuri e as mesorregiões Norte e Noroeste foram preditos como não tendo mais potencial de aeração adequado, uma vez que foram os mais impactados pelas mudanças climáticas. A aeração de resfriamento é recomendada ao arejar o feijão nessas mesorregiões, mesmo com o clima atual, e isso deve ser intensificado ao considerar as mudanças climáticas. Nas outras mesorregiões, a aeração com o ar ambiente é atualmente adequada e isso pode permanecer viável mesmo com as mudanças climáticas projetadas, mas é com a condição de que boas práticas de armazenamento sejam seguidas e estratégias de controle eficientes sejam aplicadas. Os vales Jequitinhonha e Mucuri e as mesorregiões Norte e Noroeste foram preditos como não tendo mais potencial de aeração adequado, uma vez que foram os mais impactados pelas mudanças climáticas. A aeração de resfriamento é recomendada ao arejar o feijão nessas mesorregiões, mesmo com o clima atual, e isso deve ser intensificado ao considerar as mudanças climáticas. Nas outras mesorregiões, a aeração com o ar ambiente é atualmente adequada e isso pode permanecer viável mesmo com as mudanças climáticas projetadas, mas é com a condição de que boas práticas de armazenamento sejam seguidas e estratégias de controle eficientes sejam aplicadas. Os vales Jequitinhonha e Mucuri e as mesorregiões Norte e Noroeste foram preditos como não tendo mais potencial de aeração adequado, uma vez que foram os mais impactados pelas mudanças climáticas. A aeração de resfriamento é recomendada ao arejar o feijão nessas mesorregiões, mesmo com o clima atual, e isso deve ser intensificado ao considerar as mudanças climáticas. Nas outras mesorregiões, a aeração com o ar ambiente é atualmente adequada e isso pode permanecer viável mesmo com as mudanças climáticas projetadas, mas é com a condição de que boas práticas de armazenamento sejam seguidas e estratégias de controle eficientes sejam aplicadas. A aeração de resfriamento é recomendada ao arejar o feijão nessas mesorregiões, mesmo com o clima atual, e isso deve ser intensificado ao considerar as mudanças climáticas. Nas outras mesorregiões, a aeração com o ar ambiente é atualmente adequada e isso pode permanecer viável mesmo com as mudanças climáticas projetadas, mas é com a condição de que boas práticas de armazenamento sejam seguidas e estratégias de controle eficientes sejam aplicadas. A aeração de resfriamento é recomendada ao arejar o feijão nessas mesorregiões, mesmo com o clima atual, e isso deve ser intensificado ao considerar as mudanças climáticas. Nas outras mesorregiões, a aeração com o ar ambiente é atualmente adequada e isso pode permanecer viável mesmo com as mudanças climáticas projetadas, mas é com a condição de que boas práticas de armazenamento sejam seguidas e estratégias de controle eficientes sejam aplicadas. 

Link: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S1537511019308530?via%3Dihub