O PET-Agronomia é um dos 842 grupos do Programa de Educação Tutorial (PET) do Governo Federal. O grupo é formado por estudantes e um docente do curso de Engenharia Agronômica da Universidade Federal de São João del-Rei, Campus Sete Lagoas.

Universidade Federal de São João del-Rei
Rua Sétimo Moreira Martins, 188 - Bairro Itapoã
Sete Lagoas (MG)

 

 

Histórico da Alface no Brasil

03-05-2021 13:17

Hortaliça da família Cichoriaceae, tem como centro de origem a região Asiática, e de la , e disseminou-se pela Europa juntamente com a expansão do Império Romano. Ao redor do ano 4.500 a.C. já era conhecida no antigo Egito. A alface (Lactuca sativa L.) é uma planta herbácea, com um caule diminuto ao qual se prendem as folhas. Estas são a parte comestível da planta e podem ser lisas ou crespas, fechando-se ou não na forma de uma "cabeça". A coloração das plantas pode variar do verde-amarelado até o verde escuro e também pode ser roxa, dependendo da cultivar.

Chegou ao Brasil no século XVI, através dos portugueses e é atualmente a  hortaliça folhosa de maior consumo no país, tendo como maiores produtores os estados de São Paulo e Minas Gerais. A espécie se adaptou bem às condições climáticas do país, podendo ser cultivada em todo o território nacional, e rapidamente caiu no gosto das pessoas. A alface é classificada comercialmente, segundo o Programa Horti & Fruti Padrão da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, em Americana, Crespa, Lisa, Mimosa e Romana. Atualmente no Brasil, a alface de maior importância econômica é a crespa, tendo preferência de 70% no mercado brasileiro, seguida pela americana (15%), lisa (10%) e romana. 

No Brasil, o plantio da alface ocupa uma área de aproximadamente 35.000 hectares sendo tanto pela produção intensiva, quanto por produtores familiares, gerando em torno de cinco empregos por hectare.


Fonte: http://www.iac.sp.gov.br/imagem_informacoestecnologicas/32.pdf