O PET-Agronomia é um dos 842 grupos do Programa de Educação Tutorial (PET) do Governo Federal. O grupo é formado por estudantes e um docente do curso de Engenharia Agronômica da Universidade Federal de São João del-Rei, Campus Sete Lagoas.

Universidade Federal de São João del-Rei
Rua Sétimo Moreira Martins, 188 - Bairro Itapoã
Sete Lagoas (MG)

Limite superior de água disponível no solo por modelagem e determinação direta em uma estufa

10-03-2021 14:56

Autores: Matheus Pena Campos, José Carlos Moraes Rufini, Bruno Montoani Silva, Saulo Saturnino de Sousa, Deniete Soares Magalhães, Pedro Henrique Pena Campos


Resumo: 


A capacidade dos vasos (PC) é um método direto de determinação da capacidade de campo (FC) para experimentos com plantios em vasos. O objetivo deste estudo foi avaliar diferentes métodos laboratoriais para determinar a capacidade de campo e compará-los com o método da capacidade do vaso. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado (CRD), com nove tratamentos (métodos de obtenção de CF) e quatro repetições, totalizando 36 parcelas experimentais. Foram comparados os valores médios dos teores de umidade na CF dos nove métodos, sendo oito obtidos empiricamente e um diretamente em casa de vegetação, definido como tratamento controle (PC). A precisão relativa (RA) para todos os tratamentos foi determinada em relação ao tratamento controle. A estimativa do limite superior de água disponível no solo varia dependendo do método, e uma ordem decrescente dos níveis de umidade pode ser observada em FC: FC-Lab4pts> FC-Labip> FC-Lab8pts> PC> FC-Lab6pts> FC-6KPa> FC-LabSWRC> FC-10KPa> FC-33KPa. O tratamento FC-Lab6pts tem a precisão relativa mais próxima de 100% e pode ser uma alternativa prática ao PC. A utilização de 4, 6, 8 ou 10 pontos para modelagem do SWRC não interfere na qualidade da FC estimada pelo método do ponto de inflexão de Dexter, que é muito mais eficiente para experimentos desta natureza. A utilização dos potenciais -10 kPa e -33 kPa não é adequada para estimar a FC em testes com vasos em casa de vegetação. O uso de 4, 6, 8 ou 10 pontos para modelagem do SWRC não interfere na qualidade do FC estimado pelo método do ponto de inflexão de Dexter, que é muito mais eficiente para experimentos desta natureza. A utilização dos potenciais -10 kPa e -33 kPa não é adequada para estimar a FC em testes com vasos em casa de vegetação. A utilização de 4, 6, 8 ou 10 pontos para modelagem do SWRC não interfere na qualidade da FC estimada pelo método do ponto de inflexão de Dexter, que é muito mais eficiente para experimentos desta natureza. A utilização dos potenciais -10 kPa e -33 kPa não é adequada para estimar a FC em testes com vasos em casa de vegetação.


Para continuar a leitura, vá em: http://e-revista.unioeste.br/index.php/scientiaagraria/article/view/22643