O PET-Agronomia é um dos 842 grupos do Programa de Educação Tutorial (PET) do Governo Federal. O grupo é formado por estudantes e um docente do curso de Engenharia Agronômica da Universidade Federal de São João del-Rei, Campus Sete Lagoas.

Universidade Federal de São João del-Rei
Rua Sétimo Moreira Martins, 188 - Bairro Itapoã
Sete Lagoas (MG)

História do plantio direto no Brasil

15-03-2021 15:41

Fonte: https://sementesbatavo.com.br/historia


Surgiu na Inglaterra, em 1950, Através de pesquisas da ICI (atualmente Syngenta), o Plantio direto foi introduzido pouco tempo depois nos Estados Unidos e de lá se espalhou pelo mundo. 

Teve suas primeiras experiências no Brasil no início dos anos 70, tendo o Paraná como o estado percursor da tecnologia por aqui. Foi feito na região de Rolândia em 1973, pelo produtor Herbert Bartz, o primeiro plantio noticiado. Esse produtor buscou informações indo aos Estados Unidos e trazendo seus aprendizados a respeito da técnica para o país. 

 Depois o sistema foi difundido em Cornélio Procópio e chegou à região de Campo Mourão em 1974, através do cooperado da Coamo Joaquim Montans. Assim, a tecnologia que revolucionou a agricultura está completando, em 2004, 30 anos em Campo Mourão, município que foi um dos pioneiros na implantação da prática no Brasil.

A necessidade da adesão ao sistema de plantio direto veio da necessidade de tornar sustentável a produção agrícola, minimizando custos com insumos e otimizando o aproveitamento da área de plantio. E deu certo! Pois agora mais de 3 décadas depois é uma das principais técnicas de alternativa sustentável no país. 

Com o plantio direto, o agricultor fecha o cerco contra os principais problemas que degradam o solo e, de quebra, ainda incrementa o sistema de produção, melhorando a produtividade e racionalizando os custos de produção. Dentre as vantagens do plantio direto estão a garantia de reduzir a lixiviação de nutrientes e da erosão superficial do solo, a manutenção da vida microbiológica do solo, a garantia de uma melhor atividade dos adubos químicos e de que todas as reações químicas no solo sejam bem sucedidas. Além da questão econômica, o sistema também consiste em reduzir o impacto ambiental causado pela agricultura. Dentro deste novo paradigma de produção, o plantio direto passou a ser orientado por três procedimentos base, conhecidos como projeto "3Rs": rotação de culturas, resíduos no solo (plantio na palha) e roots (raiz, no sentido de imobilidade do solo e reciclagem de nutrientes).

Fonte: http://www.coamo.com.br/jornalcoamo/ago04/plantio