O PET-Agronomia é um dos 842 grupos do Programa de Educação Tutorial (PET) do Governo Federal. O grupo é formado por estudantes e um docente do curso de Engenharia Agronômica da Universidade Federal de São João del-Rei, Campus Sete Lagoas.

Universidade Federal de São João del-Rei
Rua Sétimo Moreira Martins, 188 - Bairro Itapoã
Sete Lagoas (MG)

Surgimento da enxada

20-09-2021 20:14


O que o homem é o que é hoje graças às ferramentas que desenvolveu quando começou a descer das árvores para viver em cavernas. E é justamente nessa época, do período conhecido como neolítico, que surge a enxada.
O homem primitivo necessitava de um instrumento de caça. Pegou então uma pedra lascada, colocou-a na ponta de uma estaca, amarrando com uma fibra forte. Depois, criou o machado e percebeu que, se virasse a pedra para uma posição perpendicular, poderia usar o mesmo instrumento para cavar a terra. Assim nasceu a enxada, que permitiu o cultivo de alimentos.
Com o surgimento da enxada, o homem viu que poderia produzir seus alimentos perto do lugar onde morava e passou a andar menos para garantir seus alimentos. Foi se organizando primeiro na família, depois chegando os vizinhos, organizando as comunidades, as vilas, as cidades e a civilização.
No século XV os portugueses ainda não conheciam a enxada de ferro, uma tecnologia que só lhes foi apresentada pelos ganeses e nigerianos.
As primeiras dessas ferramentas utilizadas no Brasil vinham da Inglaterra. Logo, o caipira brasileiro traduziu os nomes das marcas inglesas para versões tupiniquins. Então, a enxada Crocodile passou a ser Jacaré, e a Double Head, ou duas cabeças, foi traduzida para algo mais simples, passando a ser chamada de Duas Caras.
As enxadas inglesas eram qualificadas pelo peso, em libras. Uma libra é igual a 456 gramas. Desde então, as enxadas brasileiras levam um número na face interna da lâmina que indica seu peso. A mais leve é de uma libra, cerca de meio quilo. Há também a de duas libras, duas e meia, três libras e três e meia.
No Brasil são produzidos mais de 40 modelos de enxadas. Alguns deles destinados à exportação para Europa e Estados Unidos. O mercado de enxadas nacional obedece algumas particularidades, sendo que uma delas é a região a que se destina.
O cabo do instrumento muitas vezes é feito com Pindaíba (xylopia brasiliensis Sprengel), árvore da família Annonaceae ou Canela-de-veado (galipea jasminiflora), da família Rutaceae, por serem madeiras muito resistentes.

Fonte: http://bemdj.blogspot.com/2008/12/como-foi-inventada-enxada-ate-aos-dias.html