O PET-Agronomia é um dos 842 grupos do Programa de Educação Tutorial (PET) do Governo Federal. O grupo é formado por estudantes e um docente do curso de Engenharia Agronômica da Universidade Federal de São João del-Rei, Campus Sete Lagoas.

Universidade Federal de São João del-Rei
Rua Sétimo Moreira Martins, 188 - Bairro Itapoã
Sete Lagoas (MG)

 

 

A Máquina Agrícola na Idade Média

16-11-2020 15:42

Fonte: JOVES AGRICULTORS I RAMADERS DE CATALUNYA · Ronda Ferran Puig, 18 2n. · 17001 GIRONA

 O período de mil anos entre a queda de Roma, no século V, e o começo do Renascimento no século XV, é conhecido como Idade Média. Foi um período de atraso e de trevas no que diz respeito ao conhecimento humano. Neste período, a economia dependia praticamente da agricultura. Por essa razão, ela sofreu alguns avanços importantes, entre eles, a invenção do moinho e do arado charrua, o surgimento de técnicas de adubação e de rodízio de áreas de plantio. Os moinhos de vento e de água e o arado de ferro eram as máquinas mais importantes. Porém, era muito pouco para a humanidade, que crescia em números assustadores no mundo inteiro. A Idade Média, principalmente na Europa, é, muitas vezes, vista como uma época em que ocorreram poucas invenções e descobertas científicas, em função da grande influência religiosa exercida pela Igreja Católica. Porém, em outras áreas, surgiram inventos importantes, tais como: os óculos, o relógio mecânico, o guindaste para uso em porto, ferraduras de cavalo, a imprensa, o arado pesado, o forno (metalurgia), o compasso seco (navegação), garfo e colher, caravela, além de muitos outros. Foi um período de dificuldades em que a humanidade passou fome. Nesse contexto, a máquina realmente foi um elemento fundamental na produção de alimentos. 

Fonte Texto: O homem, a agricultura e a história, Leopoldo Feldens