O PET-Agronomia é um dos 842 grupos do Programa de Educação Tutorial (PET) do Governo Federal. O grupo é formado por estudantes e um docente do curso de Engenharia Agronômica da Universidade Federal de São João del-Rei, Campus Sete Lagoas.

Universidade Federal de São João del-Rei
Rua Sétimo Moreira Martins, 188 - Bairro Itapoã
Sete Lagoas (MG)

Dinâmica Espaço-Temporal da Paisagem Semiárida no Município de Apodi/RN e seus Condicionantes Socioeconômicos e Ambientais

03-11-2021 14:46

Autores: Murianny Katamara Silva de Oliveira, Eveline Almeida Ferreira, Nadjacleia Vilar Almeida, Eulene Francisco da Silva, Aline Almeida Vasconcelos.


Resumo


Apodi, assim como muitos municípios do Nordeste, passou por mudanças estruturais direcionadas por dois condicionantes principais: alternância de modelos socioeconômicos e períodos de seca sazonais e prolongadas. Dentre os modelos socioeconômicos, Apodi passou por latifúndio, reforma agrária, desapropriação de terras para perímetros irrigados e instalação de empresas do agronegócio. Esses condicionantes impactaram negativamente a cobertura vegetal, degradando a paisagem e ameaçando o Sítio Arqueológico Lajedo de Soledade (SALS) situado em Apodi, importante patrimônio da humanidade. Nesse contexto, o objetivo desse estudo foi analisar as mudanças espaço-temporais na paisagem no entorno do SALS e inferir sobre a influência de condicionantes socioeconômicos e ambientais. Para isso, utilizou-se os seguintes dados: histórico de ocupação e uso da terra, precipitação mensal, produção agrícola das principais lavouras temporárias e perenes, e oito imagens capturadas pelos sensores TM e OLI dos satélites LANDSAT 5 e 8, no período compreendido entre 1984 e 2018. Os dados de precipitação foram modelados com o Índice de Precipitação Padronizado (SPI). As imagens foram classificadas com o plugin SCP (QGIS) e a qualidade avaliada com o Índice de Kappa. Foram registradas três secas prolongadas e extremas na região: final das décadas de 1980 e de 1990 e entre 2013 e 2017. A classificação das imagens indicou períodos de retração da vegetação densa e expansão do solo exposto no período de decadência da cotonicultura, e a inversão desses padrões no período pós a reforma agrária, com o estabelecimento da agricultura familiar com base agroecológica. Esse padrão foi novamente invertido, com a menor proporção de vegetação densa (5%) e maior proporção de solo exposto (45%) observadas nessa paisagem  no período de instalação do perímetro irrigado para o agronegócio. Assim, foi possível inferir que a alternância dos modelos socioeconômicos condicionou a dinâmica espaço-temporal da cobertura vegetal e foi responsável pelos quadros de degradação ambiental no entorno do SALS, sendo esses padrões agravados com a recorrência de períodos de seca extrema e prolongada. Nesses períodos, o SALS provavelmente esteve mais vulnerável aos efeitos diretos e indiretos das atividades antropogências comuns nessa paisagem.

Spatio-Temporal Dynamics of the Semi-Arid Landscape in Apodi/RN and its Socioeconomic and Environmental Drivers


Para ler mais, vá em: https: //periodicos.ufpe.br/revistas/rbgfe/article/view/248373