O PET-Agronomia é um dos 842 grupos do Programa de Educação Tutorial (PET) do Governo Federal. O grupo é formado por estudantes e um docente do curso de Engenharia Agronômica da Universidade Federal de São João del-Rei, Campus Sete Lagoas.

Universidade Federal de São João del-Rei
Rua Sétimo Moreira Martins, 188 - Bairro Itapoã
Sete Lagoas (MG)

 

 

História do Feijão no Brasil

19-10-2020 16:38

FONTE: Sociedade Vegetariana Brasileira

O Brasil é hoje um dos maiores produtores de feijão do mundo, juntamente com Myanmar, Índia, Estados Unidos, México e Tanzânia. Entretanto, muito pouco deste feijão é exportado, justamente porque somos grandes consumidores, o que também explica o fato de sermos importadores do produto, principalmente do feijão preto.
Há muitas hipóteses que explicam a origem do feijão. Arqueólogos dizem que em cerca de 10.000 a.c., o feijão tenha sido utilizado na América do Sul, no Peru e transportado para a América do Norte. Há relatos antigos do feijão que ocorreram na Bíblia, no Egito, nas ruínas de Tróia, no Império Romano, nas cortes inglesas e francesas, onde o feijão fazia parte da dieta dos guerreiros para as guerras, ajudando assim o seu uso e cultivo.
Já no Brasil, o feijão já era consumido por indígenas antes mesmo da chegada dos portugueses, que mais tarde, o agregaram em sua alimentação trazendo novas receitas e alguns ingredientes como orelha, focinho, rabo e linguiça de porco.
O feijão faz parte de um dos principais pratos da nossa culinária, a feijoada, que segundo relatos começou a ser feita nas senzalas durante a escravidão.
O feijão além de sua importância na culinária é um dos produtos agrícolas de maior importância econômico-social, devido principalmente à mão-de-obra empregada durante o ciclo da cultura. Estima-se que são utilizados, somente em Minas Gerais (o maior estado produtor) na cultura do feijão, cerca de 7 milhões de homens por dia-ciclo de produção, envolvendo cerca de 295 mil produtores.
Segundo dados da Embrapa, o Brasil já foi o maior produtor mundial de feijão, mas em 2012 e 2013, com quedas de produtividade e produção, perdeu espaço para países asiáticos como Myanmar e Índia, com 3,7 e 3,6 milhões de toneladas, respectivamente. Em 2013, os principais Estados produtores foram o Paraná, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso e Bahia, com 274 mil toneladas.
Fonte: http://www.upb.org.br/noticias/feijao-conheca-suas-origens-e-sua-importancia-na-economia/